Biópsia da mama: entenda as principais diferenças entre core e vácuo

4 minutos para ler
Medicalway

Alguns pacientes podem ter um risco muito alto de presença de células cancerígenas nas mamas e, ainda, ter a impossibilidade de seres acompanhados com frequência. Em circunstâncias como essas, os médicos, mais especificamente ginecologistas ou mastologistas, podem solicitar a biópsia da mama.

Para isso, o profissional de saúde deve remover o tecido do interior da mama, que apresenta alguma suspeita, e avaliar em laboratório se existe a presença de câncer. Assim, o exame também ajuda no diagnóstico, já que outros procedimentos — como ressonância magnética, mamografia e ultrassonografia — não são suficientes para confirmar a existência de células cancerígenas.

Então, quer mais informações sobre esse procedimento e suas diferenças entre os métodos core e vácuo? Continue a leitura e saiba mais!

Como a biópsia da mama é realizada?

Conforme mencionado, a biópsia da mama retira amostras de células do tecido mamário para análise em laboratório. Essa solicitação ocorre quando existem nódulos que levam a suspeita dos médicos, já que alguns deles podem significar a presença de câncer.

Então, saiba que o procedimento pode ser realizado dentro do consultório médico ou em uma sala de radiologia, em que os pacientes são monitorados por outros exames, como ressonância magnética, mamografia e ultrassom.

Tudo isso depende do tipo de lesão e da biópsia que será realizada. De qualquer forma, trata-se de um procedimento rápido, que em cerca de 30 minutos pode ser finalizado e costumam ser feitos com tranquilidade, apenas o leve incômodo da injeção na aplicação da anestesia local. Após isso, podem surgir pequenos incômodos e um hematoma.

Entretanto, as chances de ocorrer complicações depois do procedimento, como sangramento, são baixas. Afinal, a biópsia da mama percutânea é pouco invasiva e tão confiável e conclusiva quanto as cirúrgicas, que quase não são mais utilizadas.

Quais as diferenças entre a biópsia da mama core e vácuo?

Existem diferentes métodos que podem ser adotados na realização da biópsia da mama. O mais comum é o core, em que o médico insere uma agulha e uma pistola para retirada das amostras. O outro é mais moderno: a vácuo, que pode proporcionar melhores resultados.

Biópsia de mama core

A biópsia pode ser realizada tanto por uma agulha fina quanto grossa. Porém, ao utilizar uma agulho grossa, como é o caso do procedimento core, é possível colocar várias e amostras de tamanho maior do que no caso da agulha fina. Dessa maneira, a análise pode ser mais precisa e com menor índice de erros.

Biópsia de mama vácuo

O funcionamento desse método é similar ao anterior: ocorre a coleta de fragmentos da mama por meio de uma agulha. Porém, nesse caso, a agulha é mais calibrosa e acoplada em um sistema a vácuo, o que facilita o acesso de lesões próximas ao músculo peitoral e a retirada de pequenas dimensões. Logo, em uma única introdução da agulha, já se pode retirar uma quantidade de amostras suficientes.

Em outras palavras, a biópsia de mama a vácuo permite que o procedimento ocorra com maior rapidez, sendo menos invasivo e doloroso. A escolha do procedimento adequado depende da complexidade no quadro de cada paciente e do tamanho do nódulo em cada uma.

Quer aprender mais sobre o assunto? Saiba como escolher o mamógrafo ideal para sua clínica ou hospital!

Medicalway - Entre em contato!
Você também pode gostar

Deixe um comentário